Otimizando o espaço no bikepacking

Otimizando o espaço no bikepacking

Economizar espaço é, sem dúvida, o desafio mais difícil em uma viagem no estilo bikepacking de longa distância.

Nesta minha viagem pelo Andes, as temperaturas variaram entre sufocantes 37 °C e gelados -15 °C. A preparação para esta variação tão grande de temperatura não é muito complicada, mas você precisa ser mais criativo.

Dicas de Bikepacking com Nathan North
Nathan North durante a viagem de bikepacking pelos Andes

Em viagens muito longas, a chave é a sustentabilidade. Conforto, descanso e segurança são mais valiosos do que o peso final. Dormir bem todas as noites, ou ficar seco quando uma tempestade te atinge durante o pedal, são coisas que não tem preço. Essas coisas acontecem quando você menos espera e vale a pena estar preparado para elas.

Pensando nisso, aqui estão algumas dicas que irão lhe ajudar a evitar carregar muitas coisas desnecessárias, mas sem abrir mão do conforto básico e evitando os problemas no meio da sua viagem.

Nem sempre é fácil manter a organização durante uma viagem de bikepacking

Seja em uma viagem de 18 dias totalmente autossuficiente sem reabastecimento ou em uma viagem de fim de semana, parece que nunca sobrou espaço nas minhas mochilas. Eu utilizo cada pequeno espaço.

Mas antes de começar a jogar Tetris tentando encaixar seus equipamentos para otimizar o espaço, é importante observar que é difícil manter as coisas organizadas, otimizadas e acessíveis sempre. Em uma viagem de bike as suas coisas estão sempre se movendo entre as bolsas. Paradas para reabastecimento, mudanças no clima ou manutenções emergenciais durante o percurso nos fazem mexer nas bolsas e sacos estanques e isso pode comprometer a organização e a otimização do espaço durante a viagem.

Acampamento durante uma viagem de bike

Junto com o estilo do bikepacking vem um compromisso em relação ao quão acessível e otimizado o nosso equipamento é – mas pode ter certeza de que esse compromisso é recompensado durante um single track, descidas rápidas ou naqueles trechos onde você precisa empurrar a bike morro acima. Eu não uso alforjes (embora saiba que eles tem um certo mérito), e por isso estou sempre espremendo maçãs, batatas, aveia, biscoitos e outras guloseimas nos sacos de compressão ou na minha bolsa de selim. Entretanto, quando eu tenho algum tempo livre, eu aproveito para mover eles para algum lugar mais acessível ou otimizado. Isso é uma coisa comum no bickepacking.

Encontre outros ciclistas para se inspirar e obter informações

Use as redes sociais e o Google para encontrar ciclistas e sites sobre bickepacking com relatos e dicas de pessoas que estão fazendo ou já fizeram longas viagens. Veja as fotos, vídeos e ouça os podcasts. Muitas dicas úteis podem aparecer em uma postagem ou em um vídeo. Faça comentários e perguntas sempre que achar necessário. Anote as respostas de forma organizada para que você possa consultar os detalhes posteriormente quando estiver fazendo o seu planejamento.

Uma das minhas perguntas favoritas é: “o que te manteve aquecido em sua noite mais fria?”. Afinal de contas, um dia todos nós teremos a nossa “noite mais fria” também.

Acampamento nos Andes durante uma viagem de bike

Não leve muitas roupas

É óbvio, quanto menos coisas você leva mais espaço disponível você terá na sua bike. Não há uma lista perfeita de roupas para uma viagem internacional de bicicleta – ainda mais quando se trata de uma viagem longa passando por climas tão distintos.

Encontrei todas as informações necessárias em blogs de ciclistas que fizeram ou estão fazendo viagens semelhantes a minha no formato de bikepacking. Eu incluí algumas camadas de roupas “que podem ser descartadas sem peso na consciência”, como um suéter usado de lã ou meias extras para as áreas mais frias – itens que eu doei assim que começou a esquentar.

Para viagens longas, eu gosto do luxo de uma ou duas camisas limpas, algumas meias para dormir e um par extra de calças para os dias de folga – pode ser uma calça bermuda. Se esfriar durante a noite, eu posso usar as roupas extras e até mesmo a minha capa de chuva para reter todo o calor que eu precisar.

Lembre-se: roupas feitas de tecidos sintéticos secam mais rápido, são mais leves e menos volumosas do que roupas de algodão.

Planeje-se levando em conta 80% das possíveis situações

Planeje seu equipamento para que você fique confortável 80% do tempo durante a sua viagem. Sempre existirão lugares que são discrepantes, mais quentes ou mais frios do que o esperado – mas lembre-se que, dependendo de onde você estiver, existe a possibilidade de comprar uma jaqueta barata (até mesmo usada) ou algumas camadas extras de roupa quando for necessário.

Durante uma viagem muito longa, se você estiver indo de um lugar frio para um mais quente, você pode se desfazer das roupas de inverno ao longo do caminho, deixando elas para trás quando não forem mais necessárias. Experimente guardar temporariamente as peças que estão sobrando na casa de alguém para que você possa pega-las quando voltar (se você for passar por aquele local na volta, obviamente). Ou pense em doar/vender tudo que estiver em bom estado e possa ser usado por alguém – quem sabe até por outro ciclista que está indo na direção oposta.

Outra possibilidade no bickepacking é deixar as roupas com algum amigo ao longo do caminho e pedir que ele envie elas para a sua casa via correio quando a sua viagem acabar. Seu amigo terá um pouco de trabalho e você terá o custo do envio, mas esta é uma boa opção para eliminar os itens sem uso e não perder uma roupa de estimação.

Compartilhe o peso

Se você estiver viajando com mais alguém experimente dividir os equipamentos e a comida. Você pode dividir as partes da sua barraca, os itens de cozinha, a comida das refeições principais, etc. Ter alguém para compartilhar uma viagem de bikepacking é a maneira mais fácil de economizar peso e espaço. Além de trazer boas lembranças – e tornar a viagem um pouco mais segura.

Descubra a magia dos sacos de compressão!

Os sacos de compressão são uma maneira fácil de ganhar uma quantidade incrível de espaço, use eles para levar suas roupas, barraca, saco de dormir e todos os outros itens mais volumosos e que podem ser comprimidos. Você ficará satisfeito ao ver aquele saco de dormir enorme encolhendo diante de seus olhos. Uma dica extra: para economizar espaço, eu deixo todas as minhas roupas de dormir e meu travesseiro inflável dentro do saco de dormir, e aí comprimo tudo. Às vezes, coloco minha jaqueta lá também. Isso não adiciona muito volume extra e permite um acesso fácil a tudo que você precisa na hora de dormir.

Vá mais leve com o bikepacking
Vá mais leve com o bikepacking

Use sacos estanques para tudo!

Encha-os com o que puder, amarre-os onde puder. Estou gostando muito dos sacos estanques Big River Dry Bags 5L da Sea to Summit que ficam montados no garfo da minha bicicleta. Um contém meu sistema de cozinha e a comida, o outro eu deixo alguns equipamentos extras para climas quentes. Outra função legal é que eles me impedem de comprar comida demais, quando chego em alguma cidade e preciso reabastecer eu compro apenas aquilo que cabe neles!

Dica quente: Eu uso os meus sacos estanques quando estou carregando meus eletrônicos em uma tomada. Eles são bem úteis quando a tomada não está próxima ao chão ou de algum móvel. Basta ligar os aparelhos na tomada e colocar todos eles dentro do saco estanque, que fica pendurado no carregador. Voila!

Uso alternativo do saco estanque no bikepacking

Corte as pontas e cabos de tudo que der!

Comecei a fazer isso como uma brincadeira, mas surpreendentemente, essa dica facilita muito a organização de alguns itens durante uma viagem de bike no estilo bikepacking.

Você realmente não precisa da conveniência de algumas coisas. Minha escova de dentes foi cortada ao meio para caber na bolsa que fica no tubo superior da bike. Eu reduzo tudo que eu posso, desde que não afete o uso daquele item quando ele for necessário.

Reduza o peso desnecessário no bikepacking
Corte os cabos e reduza o que for possível para diminuir o peso e o espaço ocupado

No bikepacking cada espaço disponível é importante!

Os quadros das bicicletas são ocos, característica que serve bem como opção de armazenamento. Eu guardo cabos de freio, cabos do câmbio e raios extras dentro do meu guidão. Até conheci um cara que guardava as varetas da barraca no canote do selim! Descobri mais tarde que ele começou a fazer isso depois que perdeu um jogo de varetas e acabou tendo que comprar uma barraca nova durante uma viagem por causa disso.

Eu amarro as varetas da minha barraca no tubo superior da bike e no tubo inferior eu levo uma vara de pesca pequena, selante sobressalente, lubrificante de corrente e, às vezes, combustível para o fogareiro e azeite de oliva. Existem muitos pontos nos quadros das bicicletas que podem receber coisas assim. Você só precisa de um bom olho, um pedaço velho de câmara de ar e o objeto com a forma correta.

Viajando no estilo bikepacking

Câmaras de ar reserva e kits de ferramentas geralmente podem encontrar um lugar do lado de fora também – eu costumo cubrir esse material com o tecido de alguma camisa velha e prendo embaixo da minha bolsa de selim.

Para as rotas mais longas sem reabastecimento, coloco as lentilhas de molho em uma garrafa de boca larga, e prendo ela no meu rack frontal. Também já prendi um pacote de macarrão no guidão.

Fitas e suportes em L podem fazer algumas montagens engenhosas para viagens mais longas sem reabastecimento. Usando algumas braçadeiras de mangueira e uma mão francesa em L podemos criar um suporte para uma garrafa de água de 1,5L – prendendo tudo com uma ou duas tiras de fixação.

Empilhe algumas coisas

Alguns sacos estanque de 5L são ótimos para criar um armazenamento expansível em cima da bolsa de selim ou no guidão. Eu guardo todo o meu vestuário de chuva, algumas luvas e uma camada de roupas de merino em um saco estanque de 5L, que encaixa perfeitamente em cima do meu guidão.

Bikepacking pelos Andes

Pense em um armazenamento colapsável para a água

Certa vez eu fiquei com inveja das pessoas que possuem reservatórios dobráveis para transportar a água. Os reservatórios dobráveis são incríveis para longos períodos de pedal sem fontes de água. E podem ser dobrados ou enrolados quando não estiverem em uso.

Cuidado com as embalagens do alimentos

O ar ocupa muito espaço. Massas longas, arroz, lentilhas e aveia são fantásticos para armazenar, já um pacote de macarrão tipo “penne” não ajuda tanto assim. Leve em consideração sua disponibilidade de espaço (e estilo da viagem), e pense no tipo de embalagem e no formato dos alimentos antes de comprá-los. Isso pode ajudar a economizar muito espaço.

Se for uma viagem curta – apenas uma ou duas noites – experimente cortar os legumes e armazená-los em um saco ziploc com um pouquinho de água. Isso economizará muito espaço e irá garantir que seus vegetais não sequem. Outra opção incrível é desidratar seus alimentos ou escolher alimentos prontos desidratados ou liofilizados, com essa técnica você ganha algum espaço extra.

Remover os alimentos de embalagens desnecessárias também é uma boa técnica, assim você reduz o peso e o lixo ao mesmo tempo em que otimiza o espaço. Você ficaria surpreso com a quantidade de espaço que seu lixo ocupa. Para não criar muito lixo eu tenho algumas embalagens tipo ziploc e costumo remover os alimentos das suas embalagens originais e levar tudo nestes sacos com fecho. Aveia, arroz, massa, lentilha e mistura de castanhas e frutas secas – todos têm seu próprio saco reutilizável.

Eu até vi pessoas armazenando macarrão e arroz em garrafas montadas na bicicleta. Isso pode ser uma ótima ideia se você não precisa dessas garrafas para transportar água. Algumas garrafas são super leves, e acabam sendo uma boa opção quando você não tem mais espaço sobrando nas suas bolsas ou sacos estanques.

Não compre toda a comida de uma só vez

Para viagens mais longas, geralmente escrevo uma lista de compras, saio e compro todas as coisas volumosas e outros itens essenciais, coloco tudo na bicicleta e depois vejo o que sobrou de espaço. Então saio novamente para comprar mais alguns itens que se encaixem naqueles espaços, se eu achar necessário.

Opte por equipamentos dobráveis e empilháveis

Equipamentos empilháveis e dobráveis são muito mais inteligentes quando o assunto é otimização de espaço.

Eu uso uma caneca colapsável X-Mug e a tigela X-Bowl da Sea to Summit ​​(que também funciona como uma tábua de cortar). Essa configuração se encaixa bem quando arrumada na minha panela de aço inoxidável. Esses itens dobráveis para cozinha ​​e acampamento ocupam um espaço mínimo em uma das minhas bolsas. Deixando mais espaço livre para outros itens essenciais, como o café!

“Simplesmente planeje de forma mais inteligente, reduza os luxos e os equipamentos desnecessários e se adapte conforme você avança na viagem.”

Acampamento em uma viagem de bicicleta
X-Mug e X-Bowl da Sea to Summit em uso no acampamento

Se for preciso use as suas costas

A solução mais fácil para criar espaço extra em uma viagem de bikepacking é usar uma mochila. Quando estou carregando itens frágeis como tomates ou bananas, eles vão para minha mochila. Não há nada pior do que encontrar vegetais ou frutas esmagados dentro de uma bolsa.

Eu tenho uma pequena mochila dobrável Sea to Summit Nano Daypack que é perfeita para o trabalho, não pesa nada (30g) e quando está dobrada fica do tamanho de uma bola de tênis mais ou menos. Ela me permite expandir minha capacidade de transporte em 18 litros, e além disso funciona muito bem como uma alternativa para as sacolas do supermercado.

Uma mochila assim também tem outras vantagens. Posso usar ela em caminhadas e passeios durante a viagem ou quando eu preciso empurrar a bike em algum trecho um pouco mais longo. Eu removo meu reservatório de água da bike e coloco na mochila, o que me permite usar ela em passeios a pé ou pequenas trilhas e também me ajuda a remover peso da bike quando preciso empurrar ela morro acima.

Como último recurso, se você realmente tiver pouco espaço, pode usar a mochila para armazenar jaquetas leves e volumosas ou seu saco de dormir, assim você consegue liberar muito espaço nas bolsas da bike por alguns dias. Porém, com o tempo de viagem, o peso extra nas costas pode ficar desconfortável. A mochila funciona bem em climas frios, mas eu não costumo recomendar o uso dela em climas mais quentes.

Montando o seu acampamento base

Um método do qual me tornei fã ultimamente é o “acampamento base”.

Usado principalmente por quem deseja explorar uma área, um bom acampamento base pode ser a sua ligação entre a viagem de bike e trilhas simples, montanhas, lagos ou rios em uma área próxima. Até mesmo um bom albergue que seja adequado para bicicletas pode se tornar o seu “acampamento base” urbano, onde o excesso de equipamento pode ser armazenado – proporcionando possibilidades ilimitadas para uma exploração mais fácil da área ao redor. Isso é muito legal quando você está passando por alguma cidade interessante ou está em uma área remota com muita beleza natural que poderia ser explorada em uma caminhada ou pedal a partir do seu “acampamento base”, por exemplo.

Essencialmente, você tem sua configuração de bikepacking convencional para a viagem inteira e, após deixar parte dos seus equipamentos e suprimentos no acampamento base você passa a ter uma versão mais leve e adaptável. Uma configuração da bike que lhe permite mover-se mais rápido e cobrir mais terreno em um passeio de bate e volta com um dia de duração.

Domine a arte do Bikepacking

Eu tenho uma configuração de bikepacking para viagens e outra versão reduzida que me ajuda a viajar mais leve e mais rápido. Elimino roupas extras, equipamentos e algumas ferramentas para a versão reduzida. Dependendo do tipo de pedal e do roteiro é possível eliminar muitas coisas e contar com pontos de reabastecimento ao longo do caminho, como mercados e padarias. Outra questão se refere ao acampamento, em alguns lugares eles podem ser substituídos por hospedagens em hostels, warm showers ou couchsurfing. E todas essas opções combinadas lhe permitem ir ainda mais leve.

Alguns amigos meus são capazes de remover um conjunto de rack traseiro inteiro com alforjes e substituir tudo por um saco estanque de 13L que funciona como uma bolsa de selim.

Outra forma de aliviar a carga é enviar suas roupas ou o excesso de equipamentos pelo correio, como já falei anteriormente. Se você tiver contatos ao longo do caminho, pode uma ótima maneira de tornar sua vida um pouco mais fácil.

Bikepacking nos Andes

Uma palavra final sobre o Bickepacking

Se você tiver um olho criativo, existem infinitas oportunidades para economizar espaço no bikepacking. É tudo sobre pensar de forma mais inteligente, cortar os luxos, tomar cuidado com o pensamento do “e se…”, ter um bom plano e ser adaptável ao longo da jornada. Cada pessoa é diferente, mas garanto que você aprenderá tudo o que precisa por aí, viajando, conversando e pesquisando online. Então vá aprender e vivenciar as coisas! Vá lá, viaje de bicicleta!

Siga a minha jornada :
Instagram: @_nathannorth_
Blog: https://nathannorth.wordpress.com/

Texto original por: Nathan North / Blog da Sea to Summit – com adaptações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *