19 coisas que eu aprendi viajando de bikepacking pelo mundo

19 coisas que eu aprendi viajando de bikepacking pelo mundo

Eu não sabia quase nada quando comecei fazer minhas viagens de bikepacking – meu conhecimento não ia além de como apertar alguns parafusos aqui e ali, trocar a corrente da bike, colocar um pouco de lubrificante e esperar que tudo desse certo.

Viajar pelo mundo em duas rodas e no estilo bikepacking me ensinou muito – desde mecânica de bicicletas, escolha das marchas, definir prioridades e organizar melhor as coisas até as maravilhas de usar uma única panela durante toda a viagem. E o mais importante, as viagens me ensinaram mais sobre mim e o sobre o que gostaria de obter da minha jornada.

Estamos sempre aprendendo por meio das experiências. E qualquer viagem de bike é marcada por momentos imprevisíveis – desde pneus furados até amizades inesperadas. E isso é o que me faz voltar para estrada.

Aqui neste textos estão algumas das coisas mais importantes que aprendi com as voltas e mais voltas do meu caminho. Algumas delas são coisas que eu gostaria de saber quando comecei e outras são coisas que eu ainda estou tentando dominar.

Viagem de bikepacking Argentina
Estrada na Argentina

1. FAÇA PERGUNTAS

Todo mundo começa em algum lugar. Eu mesmo nunca fui um ciclista, mas sempre gostei de aprender novas habilidades.

Durante o ano passado, pedi conselhos para alguns bikepackers mais experientes e busquei informações em fóruns online – indo desde receitas até como selecionar os itens do meu kit de equipamentos para uma viagem longa. Felizmente a comunidade de cicloviajantes é FORTE! As pessoas são muito generosas com seu tempo e conhecimento.

2. O PESO É UM INIMIGO

Durante minha viagem pelos Andes, sempre que eu passava por pelas montanhas eu me perguntava por que ainda estava carregando uma barraca de quatro estações, roupas de um sistema de camadas completo e aquele meio pacote de macarrão que estava guardado desde o Chile. Na minha experiência, se você não usou algo por um mês inteiro, é provável que também não use no próximo mês – se o clima do lugar permitir, é claro.

Para tentar manter o peso baixo, observe o que outras pessoas estão levando em viagens de bikepacking semelhantes. Que roupas e ferramentas eles levaram? Eles têm uma lista de equipamentos que você possa consultar? Existe uma riqueza de informações na internet e fora dela, basta ter a capacidade de pesquisar e perguntar.

Você pode eliminar muito peso através do planejamento das refeições e pesquisando sobre as fontes de água existentes ao longo do caminho. Além disso, consulte a distância e faça uma estimativa do tempo que você levará pedalando entre as cidades. E se você está planejando uma viagem mais curta ou perto de casa, experimente desidratar alguns vegetais para levar. É uma ideia incrível.

Durante o seu planejamento antes da viagem, considere a duração, a faixa de temperatura e as condições climáticas para ter uma ideia de como serão seus melhores e piores dias.

3. ALGUMAS COISAS VALEM O PESO EXTRA

Com o espaço limitado pelo bikepacking e o desejo de viajar com pouco peso, você precisa se comprometer como a otimização de tudo que colocará na sua bicicleta. Mas lembre-se de que algumas coisas podem valer o peso extra a ser carregado. Pense na intenção da sua jornada. O que você está procurando? Onde você vai? O que você realmente precisa?

Nas minhas viagens pelo Andes, eu me desloco de bicicleta, mas às vezes eu gosto de fazer caminhadas e procurar pelos riachos cheios de trutas.

É bom ter a opção de mudar a rotina do dia a dia durante a viagem. Por isso eu gosto de levar uma mochila de ataque de 35L e uma vara de pesca desmontável. Assim, nos meus dias de folga, posso caminhar pelas montanhas, desfrutar das trilhas e, às vezes, até pescar uma truta.

4. INVISTA EM BONS EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS

Invista em bons equipamentos no bikepacking
Invista em bons equipamentos. / Foto feita durante minha passagem pela Bolívia.

Compre equipamentos, roupas e acessórios de boa reputação, com garantias. Durante uma viagem de bikepacking por uma região remota e difícil pode ser que as coisas quebrem com frequência, e nestas horas um equipamento de qualidade pode fazer toda diferença.

Invista nos equipamentos que você gosta de usar e pesquise o que os outros ciclistas estão usando em viagens similares! Minhas duas roupas favoritas foram compradas de segunda mão há pouco mais de dois anos, e elas já se tornaram uma extensão de mim mesmo. Ao longo dos anos, a descoloração, os rasgos e as manchas criaram um quadro de memórias que valorizo ​​profundamente.

Aliás, até a minha bicicleta é de segunda mão! Essa é a beleza de equipamentos de qualidade – eles duram muito mais.

5. FAÇA VOCÊ MESMO (DIY)

Atacando os intermináveis problemas no sistema de transmissão da bike
Atacando os intermináveis problemas no sistema de transmissão da bike

Se você não quer ficar desapontado com um serviço de reparo mal feito, aprenda a fazer você mesmo. E quanto antes você aprender melhor será.

Use o YouTube, faça um curso de mecânica de bikes ou pergunte ao seu mecânico da bicicleta se ele pode lhe dar umas aulas. Estou sempre ouvindo histórias de pessoas que deixaram seus amados equipamentos e bicicletas nas mãos de outras pessoas que não têm o mesmo amor. É desanimador, mas acontece.

As bicicletas são máquinas incrivelmente simples. E você pode resolver a maioria dos problemas usando ferramentas básicas. Prepare-se, você não encontrará um mecânico de bicicleta em muitos lugares durante uma viagem.

6. (QUASE) TODAS AS PESSOAS SÃO BOAS!

Existem pessoas boas em todos os lugares
Alguns bolivianos gentis que eu encontrei pelo caminho

Antes de começar a viagem, minha mente estava constantemente divagando com pensamentos sobre os piores cenários. Eu estava com medo de ter as minhas coisas roubadas, de perder coisas durante o pedal, das tempestades com raios e de não saber onde meu acampamento ficaria ao final de cada dias – entre um milhão de outras coisas.

Mas todos esses medos terríveis evaporam quando as rodas da bike começam a girar e você vê os sorrisos, sente os abraços calorosos e o cheiro de uma refeição grátis sendo preparada.

De um modo geral, a maioria das pessoas ao redor do mundo é incrivelmente generosa com os ciclistas viajantes. Fui alimentado “à força” por inúmeras pessoas ao longo das minhas viagens. Certa vez eu recebi as chaves da casa de uma artista local depois de conhecê-la por um mero minuto.

Sim, coisas ruins podem acontecer eventualmente, mas para cada uma delas existem outras milhares de boas ações.

7. É POSSÍVEL EVITAR A MAIORIA DAS SITUAÇÕES RUINS

Acho que a prevenção ajuda muito no que diz respeito a evitar as situações ruins. Eu sigo algumas regras gerais:

– Confie na sua intuição – se algo não parecer bom, saia daí.
– Se você sentir que deve colocar um cadeado sua bicicleta durante uma parada, faça isso.
– Minimize o tempo gasto com pessoas bêbadas. Sempre termina mal.
– Evite áreas congestionadas com tráfego humano (única vez que encontrei batedores de carteira).
– Procure estradas menores ou de terra. Evite estradas com muito tráfego, caminhões e carros em movimento rápido.
– Não pedale durante a noite.

8. FIQUE FORA DA VISTA DOS OUTROS

Acampe afastado da vista das pessoas
Ao escolher um lugar para acampar afasta-se das estradas e da vista das pessoas

Quando eu vou acampar sempre fico fora da vista da estrada, mesmo que ela seja pequena. O mesmo vale para os caminhos ou trilhas onde as pessoas podem avistar meu acampamento. Nunca armo minha barraca quando noto que as pessoas estão me observando ou podem me ver. Sempre espero a passagem de qualquer carro na estrada antes de sair dela e montar meu acampamento.

Muito raramente eu faço uma fogueira, a menos que eu precise dela para cozinhar. As fogueiras são uma maneira fácil de chamar atenção desnecessária para você. E, mesmo que elas não chamem a atenção de ninguém, podem deixar uma marca duradoura em lugares bonitos. Ou até mesmo causar um incêndio.

A mesma regra vale para a minha iluminação. Se eu desconfiar que as pessoas podem me ver eu mantenho a minha lanterna na menor potência possível.

9. VOCÊ É O QUE COME

Nosso corpo precisa de nutrientes, vitaminas e minerais para funcionar e se recuperar. Sempre que posso, carrego frutas e vegetais para complementar minhas refeições.

Muitos vegetais são fáceis de levar, incluindo cebola, batata, alho, cenoura, feijão, beterraba e, com algum cuidado, tomates e até verduras podem durar um pouco mais. Além disso, temperos e condimentos farão você se perguntar como uma refeição tão deliciosa pode ser feita em uma única panela no meio do nada.

10. VÁ ALÉM DE NÃO DEIXAR RASTROS

Não deixe rastros na sua viagem de bicicleta
Pratique os princípios do Mínimo Impacto durante seus acampamentos e paradas

Tente deixar os lugares melhores do que você os encontrou. Deixe que a próxima pessoa que passar por ali fique tão inspirada quanto você ao ver a beleza daquele lugar. Tenha certeza que os seus esforços serão recompensados ​​com um bom carma.

Não lave suas panelas ou roupas sujas nos rios. Pegue a água necessária e lave sua louça ou roupas longe dos rios. Afaste-se, pelo menos, uns 60 metros de qualquer fonte de água.

Sapos, peixes e toda uma série de outras belas criaturas aquáticas podem ser afetados pelos óleos residuais, restos de alimentos e sabões que usamos para lavar nossas roupas ou utensílios de cozinha. Portanto, tenha cuidado com isso.

Dica: conheça os princípios do Leave no Trace e pratique as regras de mínimo impacto nos seus acampamentos. Para saber mas sobre este assunto acesse: https://geartips.com.br/os-7-principios-do-leave-no-trace/

11. A ORGANIZAÇÃO TORNA A VIDA MAIS FÁCIL NO BIKEPACKING

Mantenha os equipamentos organizados em uma viagem de bikepacking
Mantenha seus equipamentos organizados durante a viagem e nos acampamentos

Para evitar dias e noites miseráveis, invista em alguns sacos estanques para manter as suas roupas secas e organizadas. Eles possibilitam que as coisas fiquem mais acessíveis e protegem elas contra a água, lama, poeira, etc!

Eu uso os meus sacos estanques para separar os itens essenciais do dia a dia, como roupas quentes e capa de chuva, eletrônicos, barraca e saco de dormir. Coisas volumosas, como minha barraca e meu saco de dormir, vão dentro de um saco estanque de compressão para maximizar o espaço útil na bicicleta. Tudo tem seu lugar e sua cor.

Não pense que é simples, a organização é uma batalha contínua. Mas eu descobri que agrupar os objetos por tarefas específicas e separá-los em partes diferentes da minha bicicleta me ajuda a evitar o desperdício de tempo procurando um item e tendo que reorganizar a bagunça depois. Ao colocar minha bicicleta de lado, posso acessar facilmente todos os alimentos, água, combustível e utensílios de cozinha de que preciso para qualquer refeição.

Não se preocupe se sua bicicleta parecer um pouco bagunçada durante as viagens de bikepacking mais longas e sem reabastecimento. Amarre macarrão, arroz e comida extra no quadro da bike. Use sacos estanques de 4 a 6 litros para carregar frutas e vegetais extras. Eles podem ser presos no guidão para liberar espaço nas bolsas da bike.

É muito prático ter uma opção dobrável para armazenar água, como o WaterCell X da Sea to Summit. Eles têm um valor inestimável quando estamos cruzando aquelas estradas secas, poeirentas e ensolaradas. Ocupam pouco espaço, são duráveis ​​e podem servir como parte de um sistema de filtragem de água ou chuveiro.

12. VOCÊ NUNCA ESTÁ SOZINHO!

Passei muito tempo antes de me sentir solitário na estrada. Mas quando isso finalmente aconteceu, foi um golpe forte.

Ter tanto tempo para si mesmo acentua os altos e os baixos. Eu já tive lágrimas congelando em meu rosto de tanta alegria e passei raiva com 10 furos de pneu em um único dia. A vida na estrada pode ser muito difícil. Especialmente quando fatores adversos podem ser combinados: custos altos não planejados no orçamento, problemas com a bicicleta, muito calor ou muito frio, roupas fedorentas ou um vento contrário violento.

Não tenha vergonha de pedir ajuda durante os tempos difíceis. Às vezes, você só precisa de um abraço ou de alguém com quem conversar. Ao compartilhar minha história, ganhei muitos novos amigos e uma rede de suporte incrível para os momentos difíceis. Pergunte aos outros sobre a história deles. Diga-lhes que tiram boas fotos ou têm um grande sorriso. Algo tão simples como um comentário agradável realmente muda o meu dia, não posso enfatizar o quão valiosos esses pequenos atos de bondade podem ser.

13. EVITE FALAR SOBRE DINHEIRO

Dicas de segurança para uma viagem de bikepacking

Algumas estradas dos Andes nunca viram os pneus da bicicleta de um estrangeiro. Muito menos de um “gringo”. Certa vez algumas crianças crianças gritaram aterrorizadas quando me viram – o que é super desanimador e me incomoda profundamente.

Costumo pensar no impacto da minha jornada por essas áreas – e tento minimizar qualquer efeito real sobre a população local. Na maioria das vezes, isso requer apenas respeito.

Não aponte uma câmera para os locais, até que você conheça a “vibração geral da cidade”. Sempre converse primeiro e sempre peça permissão.

Se não tenho certeza sobre a segurança de uma cidade, desmonto meu painel solar ou guardo algum outro equipamento. E, mesmo nos meus dias mais difíceis, tento manter um sorriso e oferecer um aperto de mão e uma conversa fiada para quem está curioso o suficiente para me dizer oi.

O mais importante é: evite falar sobre dinheiro. Se alguém perguntar a você quanto vale a sua bicicleta, não diga a eles. Invente qualquer coisa para evitar um valor monetário. Digo às pessoas que minha bicicleta foi um presente da minha família e que não tenho ideia de seu custo. A última coisa que você quer reforçar é a ideologia tóxica da riqueza como um sinal de felicidade.

14. RESPEITE OS LOCAIS

Seja respeitoso. Se houver normas culturais, normas sociais ou códigos de vestimenta, siga-os. Tente aprender a língua nativa caso seja diferente da sua. Mesmo as tentativas mais básicas de adaptação são apreciadas pelos habitantes locais.

15. AME SUA BICICLETA

Cuide da manutenção da bike ao longo da viagem
Cuide da manutenção da bike ao longo da viagem

A manutenção básica da sua bicicleta é muito importante. Cuide bem dela e ela cuidará de você. Substitua as peças e componentes necessários antes de uma longa viagem, especialmente ao visitar países com serviços limitados ou pouca oferta de componentes mais modernos. Fique atento aos sons estranhos e tente consertar os problemas conforme eles vão surgindo.

16. SE NÃO QUEBROU, NÃO TROQUE

As redes sociais são ótimas fontes para termos ideias sobre equipamentos novos, peças e configurações e acessórios diferentes para a organização das bolsas no bikepacking. No entanto, elas também são uma faca de dois gumes.

Você não precisa do melhor e mais recente equipamento para começar, ou para continuar, uma viagem de vários anos. Algumas das pessoas mais inspiradoras que conheci nesta jornada não tinham nada. Conheci um cara que havia pedalado 7.000km em seis meses, sem gastar um centavo.

Você vai se divertir mais pedalando em estradas remotas do que comprando um jogo novo de rodas de fibra de carbono. Costumo relacionar as compras aos dias na estrada. Eu poderia comprar uma determinada coisa nova ou poderia passar um mês criando memórias, trilhando nas montanhas e pedalando nos Andes pelo mesmo valor que eu pagaria naquela coisa nova…

17. FICAR EM FORMA MENTALMENTE É METADE DA BATALHA

Viagem de bikepacking pelos Andes

Muitas vezes preciso me lembrar o que quero obter com as minhas viagens – inspiração, experiência, relacionamentos humanos valiosos e continuar abismado com a beleza dos lugares selvagens do nosso planeta.

Esteja preparado para mudar seus objetivos ao longo da viagem. Isso é totalmente bom – contanto que você ainda esteja se divertindo. Rapidamente ficará evidente o que é importante para você, onde você gosta de pedalar e os tipos de estradas e lugares que te inspiram. Seja sozinho ou com outras pessoas.

Conheci muitas pessoas cujas viagens são ditadas pelos números, ao invés da experiência. Pessoas que estavam tentando pedalar 500.000 km ou aquelas que contavam cada centavo gasto em uma viagem ao redor do mundo. Algumas pessoas gostam deste tipo de desafio, mas isso não é para todos.

Já tive uma mentalidade semelhante – metas, contagem de quilômetros e orçamentos faziam parte do meu dia a dia. Mas em algum lugar ao longo do meu caminho, descobri o amor pelas estradas mais remotas e isoladas, aquelas que por vezes nem aparecem nos mapas. Percebi que, para mim, manter as contagens adicionava um estresse desnecessário na minha viagem. Me afastava da experiência e dos encontros casuais ao longo do caminho – então eu passei a não me preocupar com isso.

18. AS VIAGENS DE BICICLETA SÃO PARA TODOS

O poder de uma máquina tão simples que pode quebrar barreiras, fazer amizades e criar memórias para a vida inteira. Eu conheci famílias viajando em bikes tandem, ouvi falar de mulheres grávidas fazendo cicloviagens e conheci muitas mulheres que viajavam sozinhas. Todos têm uma história própria, e todos são igualmente inspiradores, independente do estilo ser ou não o bikepacking. Sempre podemos aprender alguma coisa com essas pessoas e seus relatos.

As viagens de bicicleta podem ser tão difíceis ou fáceis, ou tão longas ou curtas, quanto você quiser. As recompensas ainda serão as mesmas – e até o menor passeio pode ser suficiente para reviver memórias da infância, despertar um senso de aventura, ajudá-lo a respirar um pouco mais fácil ou limpar a mente desordenada.

19. A BOA VONTADE MANTÉM O SONHO VIVO

Nunca andei muito de bicicleta antes das minhas viagens recentes no estilo bikepacking. Agora me pergunto como seria minha vida sem essas viagens. É difícil explicar como as duas rodas adicionaram tal direção na minha vida. Ao longo da minha jornada, fiz amigos para a vida inteira e dormi em muitos sofás – e chorei pela generosidade de estranhos mais de uma vez. O que vai volta. Se você quiser fazer parte dessa comunidade incrível, experimente se inscrever em warmshowers.org.

Siga a minha jornada :
Instagram: @_nathannorth_
Blog: https://nathannorth.wordpress.com/

Texto original por: Nathan North / Blog da Sea to Summit – com adaptações

Associe-se e garanta os seus descontos em equipamentos e serviços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *